quarta-feira, 8 de abril de 2020

Isolamento Social - dia 22

Nem acredito que este e ja o 22 dia que estou em casa...
Aqui os dias passam rapido... No inicio precisei de colocar o sono em dia e como continuo a trabalhar em casa tenho sempre que fazer.
Nesta terceira semana resolvi criar o meu proprio horario que inclui o meu trabalho, o meu estudo, tempo de lazer com o meu filho, tempo para parar e fazer refeicoes e claro para as tarefas da casa. Ter assim um horario ajuda-me a organizar melhor e ter a certeza que consigo conciliar tudo.
Cheguei a conclusao que estava mesmo a precisar de abrandar o meu ritmo de trabalho e nos proximos tempos quero procurar um trabalho mais perto de casa. Estou cansada de acordar tao cedo e de chegar a casa tardissimo... de estar de rastos as 8 horas da noite... de nao ter tempo para cozinhar uma refeicao mais saudavel.. sim por aqui temos comido mais saudavelmente e estou a adorar a energia que isso me da.
Ontem fiquei super contente quando consegui um slot para fazer compras online. E para ir buscar a loja amanha mas assim nao tenho que entrar nem fazer as compras no meio de tanta gente. E so ir buscar e eles colocam no porta-bagagens do carro e sem contacto. Foi sem duvida o momento alto do dia. Estava tao euforica que o meu filho ja nao me podia ouvir falar disto ahahahah.

4 comentários:

  1. Precisávamos todos de abrandar... Lá está, este vírus trouxe coisas boas... Nem que seja a oportunidade de repensarmos a nossa vida

    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. Nós perdemos anos de vida nos percursos para o trabalho.
    Quando em agosto de 2017 consegui vir trabalhar para perto de casa (passei de percorrer cerca de 50 km por dia, para subir literalmente duas ruas) ganhei anos de vida. E nem falo na qualidade de vida e no dinheiro que passei a poupar por não ter de pagar transportes públicos. Além disso tive a sorte de passar a fazer parte de uma instituição e equipa que valorizam os trabalhadores. Foi meu que me podia ter acontecido ao nível laboral.
    Beijinhos e protejam-se!

    ResponderEliminar
  3. Já trabalhei a 54 km de casa, quando estava grávida do meu filho, na altura ponderei bastante e acabei por me despedir para vir trabalhar para mais perto de casa, 8 km, mas sem dúvida que a empresa e as condições que tinha antes eram melhores… e sim, se soubesse o que sei hoje, teria permanecido na primeira empresa...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fala de condicoes materias/financeiras Marisa? Sentiu a vida pessoal/emotional afectada pela mudanca?
      Obrigada

      Eliminar